Skip to content
Models for continuous improvement

Hoje em dia, há muita confusão e informação errada sobre os diferentes modelos de melhoria existentes no mercado. Estamos a referir-nos ao TQM, LEAN e Six Sigma. Contudo, todos eles têm o mesmo objetivo: aumentar a satisfação do cliente ao melhorar e tornar os processos de trabalho mais robustos através da análise do processo e da eliminação de todo o que é desnecessário, que é como quem diz, os desperdícios. Para tornar isto mais interessante para o leitor, vamos dividir esta publicação em 3 entradas principais.
A parte I, que está a ler hoje, vai dar-lhe uma vista geral sobre todos os três modelos e, a seguir, centrar-se no TQM. A segunda parte vai explicar o modelo de melhoria contínua LEAN e a última o modelo Six Sigma e vai fazer um resumo sobre as principais diferenças entre eles.

Estudo comparativo entre os modelos de melhoria contínua TQM, LEAN e Six Sigma

Apesar de já termos visto que estes modelos perseguem os mesmos objetivos, a realidade é que há ligeiras diferenças entre eles, incluindo uma abordagem e enfoque diferentes.

Modelo TQM ou Total Quality Management

O TQM destina-se a criar uma consciência da qualidade em todos os processos organizacionais e foca-se no aumento da satisfação do cliente.

Modelo LEAN

O modelo de gestão de produção Lean faz parte da cultura de melhoria contínua e propõe um conjunto de ferramentas que vai ajudar a identificar e eliminar todos os tipos de desperdício, com o objetivo de obter um melhor desempenho, tanto em termos de tempo, como de custos.

Six Sigma

O Six Sigma é uma evolução do controlo estatístico do processo (SPC – Statistic Process Control), incluindo os conceitos fundamentais do TQM, e incorpora os elementos básicos do ciclo PDCA de Deming para a resolução de problemas.

Continuous Improvement Models

TQM ou Total Quality Management

No fundo, a metodologia TQM adiciona valor significativo às atividades desenvolvidas ao reduzir os custos da baixa qualidade: tudo o que implica perdas operacionais, de materiais, de potenciais clientes, etc. No entanto, o que realmente faz é melhorar os processos internos para alcançar “zero defeitos” logo à primeira.
Como o cliente (seja interno ou externo) é o principal juiz da qualidade, toda a cadeia de valor tem de conhecer e compreender as suas necessidades para as satisfazer.

Origens do TQM

O Total Quality Management (gestão da qualidade total), também conhecido como TQM, começou a ser desenvolvido nos anos 50 e 60 do séc. XX nas indústrias japonesas. Apesar disso, as forças motrizes foram Joseph Duran e, principalmente, Edwards Deming, especialista no campo do controlo de qualidade).

Significado do TQM

A palavra Total é usada porque envolve “todas as pessoas”, desde os fornecedores ao cliente final (a organização da empresa é considerada uma só, incluindo as pessoas que nela trabalham).

Total Quality Management é definida como uma estratégia de gestão que se destina a garantir que a empresa ganha consciência da qualidade.

Ao usar o conceito de qualidade total, a intenção está em fazer com que cada área da empresa assuma uma quota-parte da responsabilidade e que esta não assente apenas num departamento específico. A qualidade aqui referida abrange todos os processos e sistemas.

“Filosofia, cultura, estratégia ou estilo de gestão de uma empresa de acordo com a qual todas as pessoas da empresa estudam, praticam, participam e promovem a melhoria contínua da qualidade”. Kaoru Ishikawa

Six Sigma e o controlo estatístico do processo dos seus dados

Podemos considerar o Six Sigma como uma evolução dos controlos estatísticos do processo (SPC), incluindo os conceitos fundamentais do TQM. Também incorpora os elementos básicos do ciclo PDCA de Deming para a resolução de problemas.

Origens do Six Sigma

Desenvolvido pela Motorola nos finais dos anos 80 do séc. XX. Qual o objetivo? A necessidade de alcançar ou ultrapassar a concorrência japonesa. Bill Smith, o engenheiro responsável pela sua criação, desenvolveu esta metodologia como uma estratégia empresarial e de melhoria de qualidade. Mais tarde, foi melhorada e popularizada pela General Electric.

Abordagem do Six Sigma

A abordagem do Six Sigma baseia-se na redução da variabilidade. Ajuda a metodologia Lean a alcançar processos mais estáveis e fiáveis através do estudo e da otimização das variáveis do processo e da gestão para reduzir ou eliminar defeitos ou falhas num processo. Os seus princípios incluem o apoio de ferramentas estatísticas e de gestão de dados que facilitam a identificação de áreas de oportunidade para melhoria. A sua aplicação exige que quem vai gerir a sua implementação obtenha formação prévia (faixa verde, faixa preta).

Objetivos do Six Sigma

O objetivo passa por alcançar um nível Six Sigma nos nossos processos que abranja todas as características consideradas de elevado valor para o CTQ do cliente (Critical to Quality – conceito crítico para a qualidade):

  • Identificar as características essenciais dos produtos e processos atuais.
  • Alcançar a satisfação máxima do cliente.
  • Reduzir os custos para obter qualidade.

Pontos essenciais de implementação do Six Sigma

Esta é a filosofia que foi tida em consideração para a implementação de projetos Six Sigma:

  • Garantir o compromisso com a gestão.
  • Dar formação à gestão de topo, incluindo ao CEO. Identificar processos essenciais e selecionar “campeões” (responsáveis por estes processos).
  • Definir e implementar uma organização Six Sigma (definir papéis e responsabilidades) para garantir a sustentabilidade do projeto.
  • Selecionar áreas de melhoria essenciais e projetos Six Sigma (ao nível do processo) associados àquelas.
  • Formar especialistas, mestres de cinturão negro e cinturões negros, em estratégia, gestão de projetos, estatísticas, qualidade, etc. A sua dedicação ao projeto Six Sigma é quase absoluta
  • Dar apoio aos cinturões negros na formação e certificação dos cinturões verdes (pessoas que vão trabalhar em projetos Six Sigma como parte das suas atividades diárias).
  • Executar os projetos de forma natural (fundamental para os que escolhem melhorar a satisfação do cliente e reduzir os custos operacionais).
  • Celebrar sucessos e o plano de comunicação

Método DMAIC do Six Sigma

DMAIC é o método baseado no PDCA para o Six Sigma:

  • D: definir. O que e quem melhorar
  • M: medir. Nível atual e porquê
  • A: analisar. Analisar o desempenho atual
  • I: melhorar. Melhorar o desempenho
  • C: controlo. Manter a melhoria e padronizar

O modelo Lean Six Sigma tem as suas origens no modelo acima mencionado e partilham objetivos. Ambos pretendem melhorar a gestão e os processos de uma empresa. Contudo, o Lean foca-se mais na velocidade dos processos e na gestão propriamente dita, enquanto o Six Sigma centra-se na melhoria da qualidade e na redução da variabilidade de processos críticos.

DMAIC Method

Peça uma demonstração

Cada empresa tem uma metodologia diferente, mas todas precisam de uma. Peça uma demonstração. Vamos ajudar a perceber que metodologia se adequa melhor a si.

Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate

Play Video